Depoimentos - Jornada de Literatura de Passo Fundo PDF Imprimir
Tania“Em 2011, celebraremos os 30 anos de movimentação cultural pela formação de leitores. As Jornadas Literárias, através da complexidade de suas ações e da continuidade das mesmas têm cumprido seu papel na luta pela leitura e pela formação dos leitores, abrindo possibilidades de ampliação do imaginário e do desenvolvimento estético, além, na atualidade, de configurar-se num processo de domínio dos textos digitais. A Universidade de Passo Fundo e a Prefeitura Municipal, ao longo desses anos, por intermédio das comissões organizadora e executiva interinstitucionais, tem trabalhado com seriedade e com muito esforço no sentido de ampliar o número de leitores, qualificando-os cada vez mais. Tudo isso graças ao apoio das Leis de Incentivo à Cultura do governo federal e do governo estadual, da sensibilidade de empresários, da contribuição de instituições comprometidas  com o processo de formação de leitores em novas perspectivas, compartilhando objetivos e ações de leitura. Estamos felizes pelas conquistas que tivemos até aqui. Pretendemos dar continuidade à trajetória que poderá continuar formando leitores cidadãos, críticos, comprometidos com as transformações necessárias ao nosso país, provocando uma sintonia entre educação e cultura.”

Tania Rösing,
idealizadora e coordenadora da
Jornada Nacional de Literatra



Jose-Carlos“A Jornada Literária de Passo Fundo, o maior movimento cultural e literário do Sul do País, completa 30 anos em 2011. Mercê da relevância do propósito deste evento, coordenado pela Universidade de Passo Fundo, busca incentivar e contribuir na formação de comunidades leitoras. O mérito deste destacado trabalho, desenvolvido de forma ininterrupta, possibilitou que o município de Passo Fundo recebesse os títulos de Capital Nacional e Estadual da Literatura. As Jornadas Literárias de Passo Fundo têm servido de palco para os autores encantarem o público, mesclando ficção e realidade como instrumento de sua obra, estabelecendo uma intensa troca de percepções com a plateia. Trata-se, portanto, de espaço cultural aberto, permitindo a interação entre a comunidade e o autor”.

José Carlos Carles de Souza,
reitor da Universidade de Passo Fundo




Jose-Castilho-Marques-Neto“Nas três últimas décadas o Brasil passou a ter uma referência na formação de leitores: as Jornadas Nacionais de Literatura de Passo Fundo promovidas pela UPF! Sob uma enorme tenda de circo, numa simbologia que agrega valores importantes para a formação de leitores – contato direto com o público, informalidade, comunhão de mídias, temas e palestrantes bem formados – as Jornadas e as Jornadinhas agregam milhares e milhares de pessoas. Para quem participa é experiência formadora e única e para o Brasil todo um exemplo vivo de que é possível fazer um país de leitores! Viva a 14ª Jornada Nacional de Literatura – o espetáculo da cidadania e da inclusão literária vai começar!”

José Castilho Marques Neto,
diretor Presidente Editora UNESP e
Secretário Executivo do PNLL




Alcione-Araujo“Aos trinta anos, a Jornada Literária de Passo Fundo, é uma encantadora balzaquiana – associá-la ao prolífico escritor francês é natural e justo. Nessas três décadas, poucos fizeram tanto para fomentar a literatura e a leitura no Brasil. Não apenas pela fileira de escritores convidados ou o nível dos debates, mas pela qualidade e quantidade dos participantes. É de arrepiar ver a multidão debaixo da lona do circo para assistir não malabaristas, trapezistas e equilibristas, o que já seria uma proeza, mas ouvir escritores, poetas, filósofos, compositores, dramaturgos, críticos, cineastas, professores, o que é quase inacreditável. Gente de todo canto do mundo, de todo gênero, de toda idade e formação. No palco e na platéia! Sem badalação, mas num clima de festa e congraçamento, realiza-se um sonho que persigo há anos: a reaproximação da educação e da cultura, rompendo a esquizofrênica separação que vem empobrecendo a cultura e a educação. Impressiona que uma pequena cidade do Rio Grande do Sul, tenha tido a idéia luminosa de criar esta Jornada, e, principalmente, tenha sabido mantê-la viva e atuante ao longo do tempo. Com a mudança dos costumes, balzaquiana hoje é uma menina-moça, não a senhora francesa que Balzac imaginou. Muitos anos de vida para a bela e saudável menina-moça de Passo Fundo!”

Alcione Araújo,
escritor e coordenador de debates da Jornada




Ignacio-de-Loyola-Brandao“30 anos de Jornada. Quando fui pela primeira vez era quase um menino. Agora sou quase velho. A Jornada de Passo Fundo melhorou muito mais do que eu. Expandiu, cresceu, ficou bonita, prestou e continua prestando um grande serviço à literatura, ao Brasil e ao ensino, fundamentalmente. Eu sei que eu vou acabar, mas tenho certeza que ela vai continuar. Meu neto estará no centenário. Já o encarreguei disso.”

Ignácio de Loyola Brandão,
escritor e coordenador de debates da Jornada



Regina-Zilberman“A Jornada de Literatura de Passo Fundo se constitui no mais importante evento literário do país: prestigia a literatura brasileira no país e no Exterior, graças aos renomados escritores que convida, realiza-se há trinta anos, sem descontinuidade, e – o que é mais importante – forma leitores de todas as idades, conscientes e atuantes”.

Regina Zilberman,
escritora



Antonio-Torres“Hoje, há festa literária em quase tudo quanto é canto do Brasil, para felicidade geral dos escritores, editores e leitores. Mas no ano de 1991 a coisa não era bem assim. Daí o meu espanto ao dar de cara com o público que lotava o auditório da 4ª. Jornada de Passo Fundo: mais de três mil pessoas, um recorde, para a época. Na sua 9ª. edição, em 2001, pude constatar o quanto o evento havia crescido e se multiplicado, de forma surpreendente. Surpresa maior ainda foi ser chamado ao palco, junto com Salim Miguel, o autor do belíssimo romance Nur na escuridão, para recebermos o Prêmio Zaffari & Bourbon, já consagrado como um dos mais importantes do país. Agora, outra bela notícia: as Jornadas de Passo Fundo continuam crescendo e inovando, como demonstra a elevação do valor do seu prêmio literário, que passa de 100 para 150 mil reais ao vencedor, valorizando ainda mais a criação literária nacional”.

Antônio Torres,
vencedor do 2º Prêmio Passo Fundo Zaffari &
Bourbon de Literatura, em 2001




Pedro-Cerrillo“Quienes hemos tenido la oportunidad de asistir y participar en alguna de las Jornadas Nacionales de Literatura que, desde hace muchos años, se organizan en la ciudad de Passo Fundo, gracias al empeño, coraje, profesionalidad y generosidad de la profesora de la Universidad de Passo Fundo, Tania Rosing y su equipo, hemos sido testigos de lo que es una gran fiesta ciudadana de la lectura. La Jornada Nacional de Literatura, que este año 2011, alcanzará su 14ª edición, es el ejemplo más contundente de la participación ciudadana en la lectura y en todo lo que la rodea, cuando lo que se le propone a la sociedad es atractivo, serio y enriquecedor. Desde el CEPLI (Centro de Estudios de Promoción de la Lectura y Literatura Infantil) de la Universidad de Castilla La Mancha, con sede en una pequeña ciudad española, Cuenca, todos los que aquí trabajamos por y para la formación de formadores y mediadores en lectura, tenemos en las jornadas de Passo Fundo un magnífico espejo del “bienhacer” las cosas, en el que queremos mirarnos para que nos dé aliento y energía. ¡Felicidades y nuestro más fraternal abrazo!”

Pedro C. Cerrillo,
Director del CEPLI,
en nombre de todo el equipo del Centro



Mia-Couto“A escrita faz-se em canoa pequena, ao avesso da correnteza, em solitária viagem. Um prémio é como um ancoradouro em que saltam para essa canoa inesperadas vozes, amistosas presenças que multiplicam a viagem por múltiplos percursos. O meu romance “O Outro pé da Sereia” recebeu o Prêmio Passo Fundo Zaffari & Bourbon de Literatura. O livro estava cheio de rios, canoas e viagens entre tempos. De entre essas viagens havia uma entre o Brasil e a África, entre o período da escravatura e outras escravaturas da actualidade. O prémio trouxe um outro sentido à história como se devolvesse as vozes da outra margem do Atlântico. As Jornadas Literárias de Passo Fundo já tinham inscrito em mim um sentimento de fascínio. Voltar a Passo Fundo para receber o Prémio foi um momento inesquecível para mim. Muito mais que o Prémio o que me marcará para sempre são as pessoas, a equipe, o ambiente de um encontro literário que, para mim, é um caso único no panorama das artes literárias de língua portuguesa”.  

Mia Couto,
escritor e vencedor do 5º Prêmio Zaffari &
Bourbon de Literatura, em 2007



Sergio-Capparelli"Do resto do Brasil até Passo Fundo, era necessário fazer uma grande jornada. Com o tempo, aconteceu uma inversão: de Passo Fundo a todos os cantos do Brasil, uma grande Jornada. De fato, as Jornadas Literárias de Passo Fundo passaram a integrar a geografia da Literatura, mudando a direção de fluxos do saber, que normalmente vai dos grandes centros ao interior do país. O motivo 'é simples: o interior, com Passo Fundo, passou a grande centro de Literatura. Do saber sabido. E do saber ainda em construção. Graças ao que se sabe e ao que se espera saber, Jornadas Literárias de Passo Fundo"

Sérgio Capparelli,
escritor, participante da 1ª edição das
Jornadas Literárias, em 1981




sinval-medina“As Jornadas Literárias, evento pioneiro no gênero no Brasil, exercem papel de fundamental importância na aproximação dos escritores com o público leitor. Num país com deficiência de bibliotecas e livrarias, encontros como os que se realizam a cada dois anos em Passo Fundo contribuem de modo decisivo para a difusão do hábito de leitura, seja pelos suportes tradicionais como o livro, ou pela incorporação das novas tecnologias. Também merece destaque Prêmio Zaffari Bourbon, incorporado às Jornadas a partir de 1999, e que representou uma revolução nas dotações de prêmios literários no Brasil. A expressiva quantia oferecida aos vencedores, num país em que poucos escritores conseguem retorno financeiro com direitos autorais, é sem dúvida um generoso reconhecimento ao esforço criativo. Quanto a mim, o prêmio de R$ 100.000,00 recebido em 1999 acelerou  meu projeto de dedicação exclusiva ao trabalho literário, de tal sorte que hoje, aos 68 anos de idade, se não vivo do que escrevo, tenho o privilégio de viver para escrever”.

Sinval Medina,
vencedor da primeira edição do Prêmio Passo Fundo Zaffari &
Bourbon de Literatura, em 1999



Eloy-Martos-Nunez“Las Jornadas Literarias de Passo Fundo, en todos estos años, constituyen un vivo ejemplo de la dimensión social de la lectura  y de la necesidad de integrar culturas y paradigmas en torno a la lectura, no sólo con la finalidad de producir un placer estético sino con la misión de concertar proyectos de intervención capaces de transformar nuestro entorno. En Europa no conozco ningún proyecto de emprendimiento cultural que tenga las dimensiones de las Jornadas Literarias de Passo Fundo, ni ninguna propuesta que haya sabido integrar de forma tan efectiva lo que defienden algunos estudiosos sobre  el llamado  “paréntesis de Gutenberg”: necesitamos un ágora que recupere la literatura oral, un ágora por donde circulen los grandes textos, autores y géneros de la cultura letrada, y, finalmente, un ágora que ponga en valor la cultura mediática y digital. Estas tres ágoras ya existen en Passo Fundo. Porque hacer estas síntesis, crear estos puentes e itinerarios, es la tarea de futuro que desde hace 30 años se lleva haciendo en estas magníficas Jornadas Literarias de Passo Fundo, bajo el liderazgo de la profesora Tania Rösing y de su equipo. Gracias por todo ello”.

Eloy Martos Núñez,
coordinador general de la Red de Universidades Lectoras



plinio_cabral"A existência de prêmios literários é importante, pois agrega um valor maior à literatura, desperatando interesse de intelectuais na criação de obras artísticas. Nesse sentido, o Prêmio Passo Fundo Zaffari & Bourbon de Literatura cumpre sua função, inclusive pela permanência, o que lhe confere seriedade e um real atrativo para a intelectualidade. Trata-se um prêmio hoje inserido na vida cultural do país como um dos seus mais sérios esteios na promoção dos livros e seus autores".

Plinio Cabral, vencedor do 3º Prêmio Passo Fundo
Zaffari & Bourbon de Literatura (2003).

Obra: “O Riso da Agonia”